Três projetos já tramitam para evitar tragédias como na escola em Suzano

Três projetos já tramitam para evitar tragédias como na escola em Suzano

Na manhã desta quarta-feira (13), um adolescente Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos, e o jovem Luiz Henrique de Castro, 25 anos, mataram a tiros oitos pessoas dentro da escola estadual Raul Brasil, na cidade de Suzano. Entre as vítimas fatais estão cinco estudantes, alunos da unidade escolar, duas funcionárias da escola, e um comerciante.

Os dois atiradores, a exemplo de outros casos semelhantes que ocorrem em países como os Estados Unidos, cometeram suicídio após o atentado.

As motivações ainda estão sendo investigadas pela polícia, mas as primeiras notícias apontam motivo de vingança, por conta de bullying que os dois atiradores supostamente teriam sofrido.

“Lamento e muito essas mortes. Que Deus conforte o coração dessas famílias e cuide desse sofrimento. Sou pai e mesmo assim, é difícil imaginar a dor de um pai ou uma mãe depois de um crime terrível como esse”, lamentou o vereador.

Na cidade de São Paulo, três projetos de lei de autoria do vereador Rinaldi Digilio poderiam evitar que novas tragédias aconteçam e repitam as mortes na capital paulista.

As medidas propostas pelo vereador visam ajudar estudantes de escolas municipais a superarem traumas e facilitar a identificação de problemas psicológicos, tornando a Educação mais humana.

Os três projetos do vereador paulistano que poderiam colaborar com a questão são:

Projeto de Lei Nº 267/2017 institui o Plano Municipal de prevenção ao Suicídio na cidade de São Paulo. A ideia é promover ações com servidores públicos municipais, conscientizando sobre o debate desse tema, que ainda é um tabu, e facilitar assim diagnóstico prévio de jovens potenciais suicidas.

Projeto de Lei Nº 108/2017 dispõe sobre a inclusão de assistentes sociais e psicólogos no quadro de profissionais das Escolas Públicas Municipais, para ajudar os alunos, familiares, professores e direção escolar em suas diversas relações. Pesquisas mostram um aumento de 200% na taxa de suicídio foi observado em crianças de 10 a 14 anos.

Essa ação, por exemplo, poderia previamente identificar o impacto do bullying em algumas crianças e jovens, além de auxiliar no tratamento de quadros mais graves. Dados apontam que uma em cada cinco crianças tem problema de saúde mental.

Projeto de Lei Nº 304/2017 cria a Semana de conscientização sobre depressão infantil para que sejam realizadas estratégias de análise, diagnóstico e prevenção de casos da doença de forma prematura. Atualmente, muitas crianças e jovens sofrem com a depressão, mas não contam com a mesma atenção do poder público. Nos últimos anos, foi observado um aumento de 37% na depressão adolescente.

Os três projetos já foram aprovados pelas comissões da Câmara Municipal e precisam passar por duas votações para que sejam encaminhados para a sanção do prefeito Bruno Covas (PSDB).

“A melhor forma de evitar esse tipo de crime é cuidar da saúde mental de nossos jovens e crianças. O sofrimento psicológico é uma realidade dos jovens e crianças em nossa sociedade e mais do que armas ou leis mais duras, em casos desse tipo, identificar e tratar é o melhor e mais eficiente caminho”, afirmou o vereador Digilio.

“É claro que a questão da segurança, de aumentar a segurança e evitar que esses atiradores entrem nas escolas é essencial, mas melhor ainda é se evitássemos que existam esses atiradores, tratando preventivamente qualquer problema psicológico que ajude a levar essas pessoas a essa condição perigosa para toda a sociedade”, disse.

One thought on “Três projetos já tramitam para evitar tragédias como na escola em Suzano

  1. Penso que são medidas importantes, que ajudarão neste tipo de problema.
    Acho que deveria haver um controle municipal e estadual que controle a permanência de menores em Lan House, pois jovens ficam por horas dentro deste estabelecimentos sem controle de ninguém, nem mesmo dos próprios pais. Deixam até mesmo de ir para escola para ficar nestes lugares. Parabéns vereador pela iniciativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *